Informe seu e-mail e
receba nossa newsletter

   

Órgão Oficial

 

 

 

 

     

Órgão de Divulgação

  

  

   
 

Parceria

  

 
 
 

 

• Vicunha reutiliza 75% de efluente industrial

 

A Vicunha Têxtil reutiliza 75% dos resíduos hídricos em duas fábricas de Maracanaú, no Ceará. Em números, a Unidade V produz cerca de 75.000 m³/mês de efluente industrial que é direcionado para a Unidade I. Deste montante, cerca de 50.000 m³/mês são consumidos fruto do processo de sistema de reuso de água. Esse resultado é retorno do projeto Tratamento de Efluentes Industriais, que é certificado pela NBR ISO14001, norma internacional de Gestão Ambiental, assim como todos os demais processos destas unidades fabris.



Esse programa contribuiu com a redução de 62% no consumo de água nas Unidades I e V de Maracanaú (CE), de janeiro a julho de 2009. Isso equivale a uma economia de, aproximadamente, R$ 810 mil no período e representa 12,5% a menos na conta mensal de água.



Os valores desta produção representam uma redução significativa quanto à utilização dos recursos hídricos do Estado, tornando-se, de maneira indireta, um processo que beneficia todos os segmentos da sociedade. A variação nessa economia é influenciada pelo volume de produção de tecido. “Quanto maior a produção fabril, maior a economia no consumo de água”, explica Macilon Siebra, coordenador do projeto.



A ação, realizada em parceria com a Geoplan - empresa nacional com mais de 15 anos de experiência em soluções para águas e efluentes -, foi implementada em novembro de 2001. O trabalho conjunto das duas empresas, hoje, corresponde a 70 m³/hora de efluente reutilizável. “Há oito anos, o custo de implantação do projeto foi cerca de R$ 5 milhões”, conta Siebra. “Atualmente, estamos realizando novos estudos para verificar a possibilidade de expansão nas unidades fabris de Pacajus, no Ceará, e de Natal, no Rio Grande do Norte (também certificadas pela ISO14001)”, afirma.



"Além de contribuir com a área de preservação ambiental e financeira da companhia, a ação, atrelada às demais ações do sistema de gestão ambiental, tornou-se um diferencial competitivo na exportação de tecidos para a Europa, tendo como benefício agregado a geração de efluentes livres de metais pesados diminuindo a poluição dos processos produtivos, assegurando que nosso produto não afeta a saúde humana e o meio ambiente, permitindo que o segmento de tecidos índigo seja certificado pelo selo verde, o OEKO-TEX STANDARD 100", diz Andreline Timbó, coordenadora de Meio Ambiente das Unidades de Índigo e Brim da Vicunha Têxtil. "A estação contempla todas as etapas de um método moderno para tratamento de esgoto: primário, secundário e terciário", complementa.



Outra prática voltada para a atuação ecologicamente responsável da companhia é a utilização de cascas de castanha no aquecimento das caldeiras nas três fábricas do Ceará. Por mês, 3 mil toneladas do material são convertidas em combustível alternativo, a chamada biomassa.


Fonte: Thaís Camargo

CDI Comunicação Corporativa

Tel.: (11) 3817-7987

thais@cdicom.com.br

www.cdicom.com.br




 
 
 
  
 
Redação/Administração
 
Rua Albuquerque Lins, 635 4° andar - cj. 44 - Santa Cecília
São Paulo - SP - CEP 01230-001 Tel: (11) 3661-5500 Fax: (11) 3826-2228
revistatextil@revistatextil.com.br